sexta-feira, 21 de setembro de 2012

Os 3 tipos de Revolucionários


A maioria absoluta das pessoas cresceu sendo ensinada que ser revolucionário é algo bom, que é legal, que pessoas assim tem "atitude". Mas quando temos a graça de saber o que é realmente a ideologia revolucionária percebemos que á algo demoníaco, pois tudo nela afasta-nos de Deus. A tão aclamada Revolução tem sempre como raiz a revolução do homem contra Deus.

Esta postagem tem como objetivo mostrar os 3 tipos básicos de revolucionários, você claramente perceberá um desses tipos ao seu redor, e talvez até se perceba dentro dessa mentalidade pois estamos num ambiente tão infectado que é como que se fossemos peixes num oceano revolucionário. Para maiores esclarecimentos sobre como reconhecer este mal aconselho veementemente a visualização do vídeo "Os perigos da mentalidade revolucionária" e num segundo momento, para maior conhecimento o curso "Revolução e Marxismo Cultural", ambos do Pe. Paulo Ricardo de Azevedo. Como dissemos aqui relataremos os 3 principais tipos:

1º tipo: O Bobinho. Nunca leu nenhum dos autores revolucionários, só ouviu dizer na escola em programas de TV que ser revolucionário é legal. É comum vê-los em grupos que gostam de se dizer "os descolados", que tem atitude e coisas afins. Normalmente é uma pessoa ingênua, com boa vontade, mas que foi lubridiado, no fundo ele tem a vontade de buscar valores nobres e até por isso sua conversão é mais fácil. Quando é alertado quanto aos males do pensamento revolucionário, - principalmente quando lhes é apresentado fatos históricos -, mesmo que não mude logo num primeiro instante  fica "com uma pulga atrás da orelha" porque percebe que o que pensava anteriormente pode estar errado, e este incomodo é o primeiro passo para a conversão.

Quanto a questões da fé, são muito encontrados nesse encontro de jovens "animadinhos", onde o que vale é a festa e as palavras que mexem com a emoção. São presa fácil para pregadores que apresentam um falso "Jesus Revolucionário", isto mina sua fé e se não forem alertados é um dos motivos - se não o maior - para que abandonem a Igreja muito facilmente , e é neste alerta que também percebemos seu nível de boa vontade, quando lhes é apresentado algo mais sólido os que querem encontrar o verdadeiro Jesus se interessam, os que querem ficar na mesma mediocridade inventam mil desculpas para continuar do mesmo modo.

2º tipo: O Abobado. Também nunca leu nenhum autor revolucionário, ou se leu foi muito pouco. É um rebelde sem causa, gosta de usar camisas do Che Guevara, montar greves sem noção e usar algum tipo de droga. É facilmente reconhecido por pronunciar a palavra "burgueses" 10 vezes a cada minuto, fazer militância aberta pela esquerda e quase sempre está usando visual hippie, rastafari, hindu ou qualquer outra coisa do gênero. Xingam o capitalismo de toda forma, se dizem "os socialistas natos" mas são vagabundos que vivem à custa dos pais. Raramente os verá em ambientes de igreja, e quando aparecem são relacionados a grupos ligados a Teologia da Libertação, são aqueles que esbravejam quanto a tudo que é tradicional, vão pra igreja de bermuda, camiseta, usando um anel de tucum e querem tocar pandeiro e triângulo na hora da Missa.

3º tipo: Os abobantes. Eles são perigosos, pois conhecem toda a ideologia revolucionária, de Marx a Gramsci. São eles que "abobam" a população, como sempre fizeram usam a mídia para propagar suas idéias, sempre conseguiram um grande controle principalmente sobre a TV e divulgação de livros. Como são poucos, é difícil de reconhecê-los, é necessário um certo estudo, como por exemplo pelo menos assistir ao curso do Pe. Paulo Ricardo referido acima. Mas tem como principais bases o repúdio a tudo quanto é tradicional, daí o seu tamanho ódio a Igreja Católica, a única instituição que ainda tem forças para lutar contra essa corja infernal em escala mundial. Eles fogem de qualquer tipo de debate de idéias pois no fundo sabem que isso faria com que seus "discípulos" perdessem a confiança neles, o revolucionário pensa ao contrário, no seu mundo não existe lógica, a lógica são eles mesmos que inventam, por exemplo, um sujeito desse critica o Papa num canal de informação,  ele nunca responderá a uma pessoa que tente defender o Papa pois discutir com um "papista" é entrar na lógica "burguesa", é entrar no sistema de debates, sistema de debates este que é considerado algo retrógrado para os revolucionários, eles fogem de tudo que possa lembrar o conservadorismo.

Este ataque faz parte de outra estratégia deles, o "patrulhamento ideológico", eles atacam o líder para que o grupo se enfraqueça, quando se fala mau do líder, até que a mentira seja desfeita as pessoas mais fracas do grupo ficam desconfiadas, no fundo eles querem derrubar essas pessoas mais fracas, sabem que o líder é forte e não cairá, um dos frutos malignos desses ataques são a "criação" de novos bobinhos e abobados, que são os mais fracos e que se deixam mais facilmente se levar pelas mentiras revolucionárias.

Devemos nos proteger, pois por causa do pecado original somos inclinados a procurar as coisas mais fáceis, e é isso a mentalidade revolucionária, uma espécie de emancipação da busca pelo que não é o mais nobre, e com isso se não nos vigiarmos caímos muito fácil em qualquer um dos grupos. Em qualquer caso recomendo estes conselhos do Pe. Paulo Ricardo:

Primeiro, "com revolucionário não se discute, a gente os desmascara", eles nunca irão entrar num debate de idéias, - principalmente e o 2º e o 3º grupo - devemos mostrar a eles que sabemos que estão mentindo e mostrar aos outros que toda essa mentalidade é danosa, ensinando e principalmente mostrando os exemplos de que onde essa mentalidade se instalou com mais força maior foi o dano para as pessoas.

Segundo, "não julgue as pessoas pelo que dizem de si mesmas, mas pelo o que elas combatem", sendo eles mentirosos facilmente enganam os outros falando que fazem obras maravilhosas para humanidade, mas devemos julgá-los pelo que eles combatem, se eles combatem os valores tradicionais é sinal de que são mentirosos, por exemplo, dizem amar os pobres - o que é uma coisa boa - por um lado, mas pelo outro atacam a Igreja, a família, são a favor do aborto e coisas assim, é sinal de que estão combatendo valores perenes, combatendo valores que nos levam pra Deus.

Fiquemos atentos, mas acima de tudo entreguemos essa batalha nas mãos de Nosso Senhor, e de sua Mãe Santa Maria e do Arcanjo São Miguel, não basta vigiar, antes de tudo é preciso orar, nós somos apenas pequenos soldados que batalham pelo Reino dos Céus, no fim é Deus quem vence, e com Ele a vitória está certa mesmo que pelos nossos olhos e fé fraca as coisas estejam parecendo irrecuperáveis. Avante, vamos Batalhão Sagrado!

A tática da Contra-Revolução:

“Ação Individual: Esta ação deve ser feita antes de tudo na escala individual. Nada mais eficiente que a tomada de posição contra-revolucionária franca e ufana de um jovem universitário, de um oficial, de um professor, de um sacerdote sobretudo, de um aristocrata ou de um operário influente em seu meio. A primeira reação que obterá, será por vezes de indignação. Mas se perseverar por um tempo que será mais longo ou menos, conforme as circunstâncias, verá pouco a pouco aparecerem os companheiros.” [Plinio Correa de Oliveira. Revolução e Contra-Revolução - Parte II, V, 1, A]

Tiago Martins




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...