quarta-feira, 16 de março de 2016

Onde o Rosário aparece em “O Senhor dos Anéis”


Dom Joseph Bernard Marie Granziano, OP*

Em O Senhor dos Anéis , a Senhora Galadriel dá a Frodo um presente antes de sua partida de Lothlórien: um frasco, que de alguma forma está preenchido com a Luz de Eärendil, a estrela que serve como uma espécie de Estrela Polar ou Estrela da Manhã para orientar os Eldar (elfos) para as Terras Imortais. Quando Galadriel dá o frasco a Frodo ela diz seu propósito com este presente: "Que seja uma luz para você em lugares escuros  quando todas as outras luzes se apagarem".  

Frodo o usa pela primeira vez o frasco como uma luz no covil de Laracna, uma caverna na qual "sentia-se uma maldade tão intensa que Frodo cambaleou" (O Senhor dos Anéis , IV.9). Quando ele levanta o frasco no ar, exclama: "Aiya Eärendil Elenion Ancalima! ", que se traduz em "Salve Eärendil, a mais brilhante das estrelas!" Com suas palavras a luz brilhou mais forte. Mais tarde, quando Sam usa o frasco, ele grita:




O Elbereth Gilthoniel
o menel palan-diriel,
le nallon sí di'nguruthos!
A nin tiro, Fanuilos!

Oh Elbereth Estrela-Cintilante,
do alto firmamento olhando longe,
a ti eu clamo em meio a esse horror!
Olhar benevolente sobre mim, Senhora Sempre-pura! "

Para aqueles que não conhecem alguns termos da mitologia de Tolkien, Elbereth (ou Varda) é a Rainha das Estrelas. Com as palavras de Sam, a luz "ardeu como uma estrela saltando do firmamento em direção ao escuro como uma luz intolerável."

Um presente da Senhora Galadriel, esta é uma fonte de luz vinda através da oração, o frasco é para nós uma imagem do Rosário. A Virgem Maria, a mais bela de todas as mulheres, nos deu o Rosário como uma luz para os lugares escuros. Na oração do Rosário, clamamos a Maria, a Estrela da Manhã, para que possa guiar-nos para o Céu junto de seu Filho. Quando sussurramos nossos  Aves , pedimos a Rainha do Céu, a Mulher vestida de estrelas, por seu auxílio nos tempos mais sombrios da vida. Também a oração de Sam para Elbereth é semelhante à Salve Rainha, que oramos  no término do Rosário: "Salve Rainha ... a vós bradamos ... neste vale de lágrimas! Advogada nossa, estes olhos misericordiosos a nós volveis... oh clemente, oh piedosa..."  

Podemos identificar três efeitos do frasco que também se aplicam ao Rosário. Em primeiro lugar, o frasco fornece luz para iluminar o caminho dos hobbits para que não tropecem: Ao rezar o Rosário nós crescemos na graça e podemos assim compreender a melhor nossos caminhos. Temos fé que ao pedir a Deus através da poderosa intercessão da Mãe de Deus Ele nos traz para perto de Si e aí está toda nossa alegria. 

Em segundo lugar, o frasco dá a esperança aos hobbits, apesar das provações que enfrentam a Luz de Eärendil lembra-os das grandes histórias passadas de sobre como outros já triunfaram sobre o mal, e como acima de tudo, até da escuridão de Mordor, ainda há beleza, bondade e verdade. O Rosário de Maria é uma fonte de esperança para nós, pois, meditando sobre a vida de Cristo e caminhando com Ele chegamos a compreender ainda mais que a morte não é o fim da vida, que Cristo venceu a morte e que Ele prometeu o Seu Reino àqueles que O seguem. O Rosário é o modo humilde de Maria nos levar por este mundo, mantendo-nos cheios de esperança na plenitude da vida eterna que há por vir. 

Em terceiro lugar, o frasco é um terror para os maus. Laracna, que é um antigo mal em forma de aranha põe-se em fuga ao ver a luz do frasco brilhando. Da mesma forma, o Santo Rosário é um terror para demônios, uma arma na nossa luta contra os nossos próprios vícios e contra os males do mundo. Para provar  basta ter um olhar mais atento sobre a vida dos  santos.
Mas o  Rosário  em si é muito mais poderoso que o frasco. É uma oração que pode ser uma petição, uma meditação, uma oração de ação de graças, uma oração de louvor, mesmo uma oração de reparação pelos pecados. Há uma coisa, porém, que o Rosário não é: uma solução imediata para todos os nossos problemas. Na oração de encerramento do Rosário oramos para que possamos imitar o que os mistérios contêm e consigamos o que prometem. É fácil esquecer-se do mistério anterior quando se reza o próximo, mas eles são uma continuação do caminho. Devemos imitar o que os mistérios contêm, todos os mistérios, desde a Anunciação, através da Crucificação à Ressurreição e além. O Rosário não tira a dor desta vida; em vez disso, nos ajuda a ver o nosso sofrimento na Cruz de Cristo.Então, alegremo-nos, sabendo com uma viva esperança de que a Virgem Maria nos levará, através de tudo o que há por vir, até  seu Filho e Nosso Senhor, Jesus Cristo.
 * Dom Joseph Bernard Marie Granziano é frade da Ordem dos Pregadores, os Dominicanos, da Província de St. Joseph, Estados Unidos.

quarta-feira, 9 de dezembro de 2015

O exercício do dom de si (Práticas concretas para a busca da santidade na vida cotidiana)

O exercício do dom de si 


Pe. Joseph Schrijvers

Quando a alma de boa vontade se doou a Deus, estão lançados os alicerces do seu edifício espiritual. Só falta construir, isto é, renovar constantemente essa disposição. É o exercício do dom de si, que se pratica com a mesma simplicidade, com a mesma serena mansidão com que a alma interiormente livre cumpre seus deveres.

Logo pela manhã, ao despertar, a alma eleva-se a Deus, oferece-lhe todo o seu ser e pede-Lhe que disponha dela como lhe aprouver. Este ato substitui longas orações. É uma aceitação amorosa de tudo o que vier a acontecer no dia, seja doce ou amargo, agradável ou penoso. É uma alegre disposição de tudo fazer e sofrer para agradar a Deus.
A alma esforça-se por manter-se tranquilamente nessa disposição essencial e repete de tempos em tempos o seu oferecimento. Assim recolhida em Deus, entrega-se à oração e ao trabalho segundo as exigências de seu estado.
Durante seus afazeres, permanece senhora de si, agindo sem frouxidão e sem precipitação, não se deixando dominar pelo frenesi de acabar de pressa, nem pela vontade de conquistar estima alheia, nem pelo prazer que encontra na sua ocupação.

Já não se pertence mais, é inteiramente do seu Senhor, também não pertence aos outros, nem se deixa escravizar pelo seu trabalho, pois este não é um fim, mas apenas um meio. Inicia as suas ocupações sem paixão, continua-as com toda a paz, termina-as sem pressas, sabendo que, depois desse trabalho outros virão. Para acalmar a sua impaciência, repete muitas vezes: “Enquanto executo esta tarefa, não devo cumprir outra; enquanto estiver aqui pela vontade de Deus, não sou obrigado a estar em outro lugar.”

Inteiramente senhora de si, executa de coração livre os seus deveres, uns após os outros, e esta liberdade interior permite-lhe empreender com mente clara a atenção contínua, sem fatiga ou precipitação, sem desânimo ou preguiça.

Os homens verdadeiramente ativos são os que menos o aparentam. Os agitados, os apressados, não fazem quase nada. Começam, mas não acabam. Após o trabalho, ficam com o coração inquieto, o espírito oprimido e incapaz de pensar em Deus. A alma simples, pelo contrário, imita Deus, parece sempre em repouso e está sempre ativo.

Assim, a alma prossegue em seus trabalhos diários armada do seu ato de doação. Repete-o em cada ação que realiza, a cada dificuldade que surge, a cada sofrimento que lhe sobrevém, a cada alegria ou desgosto que experimenta. Tem o seu modo próprio de resistir as tentações e de afastar as distrações. Mal se apresentam, não as afugenta diretamente, como se fossem moscas, mas despreza-as contentando-se em repetir: “Senhor, auxiliai-me.” Um gesto de amor, eis a sua resposta às sugestões do demônio. Aliás, não será tentada por muito tempo: o inimigo sabe que cada tentação provoca um novo impulso do coração de Jesus.
Da mesma forma, acolhe por um simples ato de amor as contrariedades, as cruzes, os sofrimentos de cada dia. Por mais opressivos que sejam, os contratempos nada mais fazem do que provocar atos de amor.

O descanso não interrompe o seu relacionamento com Deus. Distrai-se com o coração livre, pois sabe que Deus quer que descanse. Nunca se abandona a uma alegria vã e desmedida. Tudo nela é moderado. Diverte-se como a criança sob o olhar materno. Só recorda-se de que Deus está nela, que a vê e que ama.

Toma as refeições com inteira liberdade de espírito, sem se preocupar com a qualidade do cardápio. Porventura não lhe vem tudo das mãos de Deus? Só dá atenção a esse bom Pai que ama ternamente, e não se preocupa com o resto.

Enfim, chegada a noite e concluídos os trabalhos do dia, enquanto adormece, ainda murmura uma palavra de abandono, mais comovido, mais profundo, se possível, para reparar as faltas cometidas e suprir as omissões do dia. Depois adormece em paz, sob o olhar do seu Senhor, que vela por ela.

Pe. Joseph Schrijvers – retirado do livro “O dom de si – vida de abandono em Deus”


P.S.: O sub-título entre parênteses foi acrescentado na edição feita pelo blog. Ajude a compartilhar, leve esta profunda e eficaz mensagem para mais pessoas, os menores atos feitos com boa vontade geram frutos gigantescos para a maior Glória de Deus.

quinta-feira, 6 de agosto de 2015

Novena da Assunção de Nossa Senhora


Hoje, dia 06/08, começa a Novena da Festa da Assunção de Nossa Senhora em corpo e alma aos Céus, Santo Afonso de Ligório diz em sua célebre obra "Glórias de Maria" que o verdadeiro devoto da Virgem Santíssima sempre a honra fazendo uma novena em preparação para as suas festas, então a façamos como muita devoção agradecendo e pedindo as graças necessárias para nosso bem.
Ajude a compartilhar entre seus amigos. Salve Maria!

Novena da Assunção de Nossa Senhora
Festa dia 15 de Agosto
Oração para todos os dias:
Oh! Santíssima Virgem que, para vos preparardes para uma santa morte, vivestes em contínuos desejos da visão beatifica; fazei que se apartem de nós os desejos vãos das coisas caducas da terra. Ave-Maria.
Oh! Santíssima Virgem que, para vos preparardes para uma santa morte, suspirastes na vida por vos unirdes para sempre com vosso Filho; alcançai-nos que vivamos sempre fiéis ao mesmo Senhor até à morte. Ave-Maria.

Oh! Santíssima Virgem que, para morrer santamente, ajuntastes um imenso tesouro de méritos e virtudes; alcançai-nos a graça de conhecermos que só a virtude e a graça de Deus é a estrada que pode conduzir-nos à salvação. Ave-Maria.

sábado, 13 de junho de 2015

Entretenimento Eucarístico com Jesus

† Entretenimento Eucarístico com Jesus

“... cumularei de graças particulares todas as almas que saberão manifestar-Me a alegria de seu coração entretendo-se Comigo em íntimo colóquio espiritual depois da Santa Comunhão. Infundirei nelas o meu Espírito e vivificarei as almas transformando a sua vida natural em verdadeira vida da Graça e cumulando-as de todo o meu Amor, com a minha Paz e com a serenidade interior da minha Luz.” Jesus a uma alma.

† O maior dom que Deus fez à humanidade é o mistério da Encarnação: o Filho de Deus feito homem. O maior dom depois da Encarnação é a Eucaristia. – Jesus Cristo vivo e verdadeiro entre nós com seu Corpo, seu Sangue, sua Alma e sua Divindade, para ser nosso companheiro na peregrinação da vida, no alimento e penhor de glória futura.
O ato mais solene de culto que sobre a terra se pode prestar à Divindade, é o sacrifício da Santa Missa; mas para os fiéis, o ato mais importante de culto e de amor a Deus é a receber Jesus Sacramentando na Santa Comunhão.

Comungar, comungar muitas vezes, comungar bem; dispor-se com antecedência para preparar a Jesus o coração purificado. Decência no vestir, humildade também interior, de maneira que Jesus entre satisfeito em nosso coração. – Antes da Comunhão pedir perdão a Jesus também das faltas pequenas; mas o que importa não é só a preparação remota e próxima, mas o entretenimento com Jesus depois da Santa Comunhão. A ação de graças se faz mais com o pensamento do que com as palavras, porque diante de Deus o pensamento tem mais valor. A oração feita com os lábios é um auxílio à nossa fraqueza humana. Jesus olha para o que pensamos e os afetos do no coração.

Após a Santa Comunhão devemos entreter-nos a sós com Jesus, em amorosos colóquios em atitude modesta, reverente, fazendo surgir com o pensamento, no coração, a devida ação de graças, sentimentos de amor, de fé, de adoração, de impetração, de maneira que Jesus não tenha a queixar-se como infelizmente se queixa de tantas almas que o recebem. Falando a alguma alma, Jesus disse: “Entro nos corações cheio de amor e encontro frieza e indiferença. Muitos me recebem, mas não sabem dizer-me nada. Estou nesses corações como um hóspede importuno, não sabem apreciar aqueles momentos e Eu não me sinto a vontade e provo mais amargura do que alívio.”
São Padre Pio, falando a uma alma, depois de sua morte, disse: “Recomenda, recomenda a todos o entretenimento com Jesus depois da Santa Comunhão.” 

Irmã Jacinta *


* Esta meditação foi retirada de um manual de orações copiado a mão por esta freira e dado de presente a uma senhora, algumas orações do manual tem autoria de santos e outras parecem ser meditações pessoais da Irmã, esta em si não apresenta nenhum autor. Em todo caso é uma belíssima meditação que nos leva a contemplar o mistério da Eucaristia, então por isso mesmo, ajude a compartilhá-la, toda caridade que fazemos aos outros na verdade é um bem ainda maior para nós mesmos!


sexta-feira, 22 de maio de 2015

Pacto da alma com o Puríssimo Coração de Maria

Pacto da alma com o Puríssimo Coração de Maria


“Soberana Senhora e Mãe minha, Vós desde o trono
celestial a que fostes sublimada, penetrais todos os meus
desejos, e meus gemidos não são a Vós ocultos; mas,
como as necessidades temporais não me permitem ter a
mente, como eu quisera; ocupada em louvor ao Vosso
sempre puro e Imaculado Coração, faço convosco o
seguinte pacto que é minha vontade seja para sempre
válido:
1º) Quantas vezes olhar o céu, outras tantas me
congratulo convosco por vossas inefáveis perfeições
e rendo graças à Santíssima Trindade por todos os benefícios,prerrogativas e excelências com que se dignou enriquecer vosso admirável Coração e especialmente por Vos ter escolhido para Mãe de Deus.

2º) Quantas vezes cerrar ou abrir os olhos, outras tantas confirmo e agradeço todas as boas obras que os anjos e santos e todas as criaturas tem praticado e praticarão daqui por diante em honra e Glória de vosso Coração e de tudo quanto Vós mesma haveis feito e fareis em louvor de vosso Divino Filho Jesus Cristo, enquanto eu, com vivo fervor, desejo participar de todas e de cada uma em particular.

3º) Quantas vezes respirar, outras tantas Vos ofereço a vida, paixão e morte de vosso querido Filho Jesus, vossos méritos e os sofrimentos de vosso aflitíssimo Coração e os de todos os Santos, para eterno louvor de vosso formoso Coração, salvação do universo, satisfação de quantas ofensas e para a conversão de todos os pecadores.

4º) Quantas vezes suspirar, outras tantas eu abomino e detesto todos os pecados que, não só eu, como todos os homens temos cometido contra a Bondade Infinita de Deus, transpassando o vosso maternal e sensibilíssimo Coração de Mãe de Deus e dos homens. Oxalá pudesse eu purificá-los com meu próprio sangue!

5º) Finalmente, sempre que mover pés ou mãos, atiro-me confiadamente em Vosso Coração maternal, desejando que disponhais de mim no tempo e na eternidade, segundo o vosso santíssimo beneplácito.
E selo os cinco atos do presente pacto com as cinco chagas de meu benigníssimo e amabilíssimo Jesus e com as cinco letras de vosso Nome dulcíssimo para que jamais possam ser anulados, desejando eu com ardor que sejam tidos por firmes e valiosos, sempre que fizer algum dos ditos sinais.

Protesto, enfim, que pelo ardente amor que Vos professo e pelo desejo veemente que tenho de louvar-Vos incessantemente, Vos dedico, ofereço e consagro, ó Coração amantíssimo de minha querida Mãe, todas as pulsações e movimentos de meu coração e de todas as minhas artérias, pactuando convosco que cada um deles expresse com ternura o seguinte louvor: Santo, Santo, Santo sois Vós, Coração Imaculado de Maria; os Céus e a Terra estão cheios de Vossa Glória, a qual ofereço, também a Beatíssima Trindade, em união da que incessantemente lhe dirigem os Serafins na eterna Glória.”
(Extraído do Manual do Arquiconfrade do Imaculado Coração de Maria)

Ajude a compartilhar esta oração, repasse-a a diante para que mais pessoas se consagrem ao Imaculado Coração de Maria! Nosso Senhor Jesus se alegra com tudo o que fazemos para honrar sua Mãe Santíssima!



quinta-feira, 12 de fevereiro de 2015

Os “novos pobres” da Teologia da Libertação


Os “novos pobres” da Teologia da Libertação

Por Pe. José Eduardo*
Vocês já notaram que a "opção preferencial pelos pobres" foi desaparecendo ou se ressignificando no vocabulário da TL? Isto se deve a dois motivos principais:
- em primeiro lugar, à compreensão que o movimento revolucionário teve de que a "revolução sexual" era mais importante do que se imaginava a princípio, pois chegaram à conclusão de que era a família, e não propriamente a propriedade privada, a origem da psicologia do poder, verdadeira causa da desigualdade sócio-econômica.
- em segundo lugar, ao fato de que, com a ascensão dos partidos socialistas ao poder na América Latina, falar sobre os "pobres" seria um "tiro no pé", e isto para qualquer uma das facções comunistas. Como eles louvam dia e noite o presumido fato de que retiraram não sei quantos milhões da pobreza, teologar sobre ela seria um contra-senso, uma anti-propaganda.
Contudo, como dizia Marilena Chauí num seu odioso vídeo, o discurso TL-petista tem um vício que contradiz seu intento revolucionário: dizendo ter melhorado a vida do pobre, o único resultado que alcançaram foi expandir a classe média, a pseudo-burguesia que eles tanto odeiam.
Por isso, era necessário encontrar um novo tipo de "pobre", pois não serviriam mais os tais "despossuídos" das décadas de 80 e 90. E eles o encontraram naquilo que Gramsci chamava de lupemproletariado, aquele estrato maltrapilho (moral e economicamente) da população, que sempre existe e existirá em qualquer sociedade.
Os novos pobres são os gays, as prostitutas, os delinquentes, os pervertidos morais, os cultivadores de lixo cultural, da anti-arte, os satanistas, enfim, aqueles que sempre foram considerados elementos desagregadores da sociedade.
Além destes, para dissimularem um pouco este horror grotesco, forjaram ainda outro tipo de pobre: a natureza, e aderiram ao discurso ecologista, trocando a "opção pelos pobres" por uma "opção pela vida", não necessariamente humana, e quanto mais se entra dentro do submundo "intelectual" do partido, necessariamente não-humana (os eco-teólogos-libertadores já chegaram a escrever que o homem é um vírus no planeta, e que deveria ser eliminado).
A ironia por trás de toda esta estupidez é o fato de que, pelo menos no âmbito da teologia da libertação, aquilo que se dizia nas décadas passadas quando se alegava que a Igreja sempre optou pelos pobres e não necessitava da TL para fazê-lo (vide o exemplo de S. Francisco e dos frades mendicantes) era que o mérito da TL consistia no fato de ter descoberto o "pobre como classe econômica" como "categoria teológica".
Agora, os fatos demonstram que a alegação era tão falsa como a abordagem teológica mesma. Os pobres são tão descartáveis nela quanto estas mesmas novas suas definições. A única coisa a que se prestam é à aquisição ou manutenção do poder político, utilizando-se a Igreja como instrumento para chegar a ele.
Não se admirem caso dentro de alguns meses as paróquias comecem a ser invadidas pelo lupemproletariado, e ao seu lado esteja alguém que você nunca imaginou que pudesse estar dentro duma Igreja. Na década de 80, quando as comunidades começaram a ser invadidas pelos comunistas, que até então se declaravam ateus, aquilo parecia impossível. Hoje, duplas LGBT querem batizar seus "filhos", apadrinhar filhos alheios, assentar seus novos nomes transex nos registros paroquiais e até mesmo casarem-se na igreja.
Alguns pensam que isto é casual, "sinal dos tempos". Não o é. São os novos pobres da TL que estão chegando, com Bíblia Pastoral nas axilas e cartilhas da PJ de tira-colo. O discurso está pronto e há quem o defenda. Oxalá estejamos preparados para desmascarar o ardil, e revelar que ninguém está preocupado com eles e com sua conversão, mas apenas em usá-los como instrumento de subversão, de domínio e de permanência no poder. Afinal de contas, se acabarem com o lupemproletariado, não haverá mais revolução. Urge, então, mantê-los na delinquência moral, e até criar uma "moral" teológica para os manter aí. Caso contrário, também eles aderirão à moral burguesa, cristã, conservadora. E de tal mal, livre-nos Gaia, valha-nos Marilena Chauí.

Fonte: https://www.facebook.com/jose.eduardo.7792/posts/975225539156128?fref=nf&pnref=story


terça-feira, 10 de fevereiro de 2015

Reze uma Salve Rainha por uma pessoa que esteja necessitada

Ajude a compartilhar entre seus amigos


Salve Rainha, Mãe de Misericórdia,
Vida, doçura e esperança nossa, salve!
A Vós bradamos, os degredados filhos deEva.
A Vós suspiramos, gemendo e chorando
neste vale de lágrimas.

Eia, pois, advogada nossa,
Esses Vossos olhos misericordiosos
A nós volvei,
E, depois desse desterro,
Mostrai-nos Jesus, bendito fruto do Vosso Ventre.
Ó Clemente, Ó Piedosa, Ó Doce Virgem Maria.

Rogai por nós Santa Mãe de Deus,
Para que sejamos dignos das promessas de Cristo. Amém.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...