domingo, 27 de maio de 2012

Oração pela futura esposa

Em algum lugar lá fora há uma mulher. Talvez eu já a tenha conhecido, talvez não. De

qualquer forma, algum dia ela será minha e eu serei seu. Seremos um do outro para nos ajudarmos em direção a Cristo, para criar nossos filhos para Ele, para passar uma vida de amor juntos.

"A minha futura esposa" não é apenas um título para algo que irá existir somente quando esse futuro chegar. Agora ela está vivendo, respirando, rindo, trabalhando, e talvez, como eu, ela está esperando. Agora ela está fazendo alguma coisa, está vivendo a sua vida.

Eu gostaria, como eu gostaria, de poder estar com ela agora, fazendo com ela o que é que ela está fazendo. Como eu gostaria de poder apoiá-la em seus grandes esforços, sorrir junto e dizer-lhe o quanto significa para mim.

Mas isto não é para agora. Isto é para mais tarde.

No entanto, ela vive e respira, e por isso eu não tenho que esperar até mais tarde para fazer algo por ela. Agora, neste exato instante, posso dar-lhe um precioso dom: o dom de minhas orações.

Muitas coisas terão que esperar até mais tarde. Mas agora, embora eu não tenha certeza se eu já vi o seu rosto, posso dar-lhe um tesouro em abundância. Neste exato momento eu posso enviar-lhe mensagens de amor em minhas orações por sua saúde, segurança e fé.

A oração não é algo para mais tarde. A oração é para agora.

“Os filhos do mundo são separados um do outro porque seus corações estão em lugares diferentes. Mas os filhos de Deus tem em seus corações um tesouro, e o compartilham pois é o mesmo tesouro de Deus, conseqüentemente serão unidos um ao outro”
. São Francisco de Sales [1]

Adaptado do texto contido neste link. O texto original é direcionado de uma mulher para seu futuro esposo.

[1] Esta citação de São Francisco de Sales não está contida no texto original mas foi retirada do mesmo site.

Tiago Martins da Silva

sábado, 19 de maio de 2012

Modéstia, pudor e lógica

"O pudor preserva a intimidade da pessoa. Consiste na recusa de mostrar aquilo que deve ficar escondido." Catecismo da Igreja Católica §2521



Graças a Deus vemos em nossos dias um aumento no interesse dos fiéis em conhecer a beleza de que é viver as virtudes da modesta e do pudor segundo os ensinamentos da Igreja.

Como todo assunto complicado não tem respostas fáceis, alguns pontos sempre geram divergências ao serem tratados, é sobre isso que se trata este post, gostaria de deixar uma reflexão sobre 3 pontos que são sempre muito discutidos.
Todos os argumentos que serão apresentados poderiam se resumir nesta premissa: Em todos os momentos de sua vida esteja vestida de um modo em que você não se envergonharia se tivesse que receber a Virgem Maria. Usando deste bom senso, vamos desdobrar algumas coisas.

Me embasarei nos argumentos utilizados pelo Pe. Paulo Ricardo de Azevedo em seu vídeo "Parresía: Pudor e Modéstia", principalmente em 3 colocações dele, a primeira é o já citado parágrafo 2521 do CIC, a segunda é uma interessante reflexão que ele faz, onde ele diz que a mulher não deve achar que a sua visão sobre si mesma é padrão para o modo de se vestir modestamente, o padrão deve ser que ela analise se a sua vestimenta provoca o olhar masculino, antes de pensar em si mesma ela deve pensar em ser caridosa com o seu próximo. Creio que até por causa disso a minha opinião possa ajudar, como homem posso dizer que as mulheres não tem a mínima noção do quanto são naturalmente belas ao olhar masculino, quando elas se vestem de forma provocante acontece o mesmo efeito de que um remédio em excesso, remédio na dose certa é bom, mas em excesso vira overdose, a mulher que se veste para provocar perde o encanto e passa a ser vista como um objeto.

A terceira se refere a que no corpo existem partes com conotação sexual explicita, umas com conotação média e outras onde não há conotação sexual, no vídeo ele usa a nomenclatura para estas partes como sendo "desonestas, semi-honestas e honestas", não que a parte em si tenha algo "desonesto", mas são partes que pela fraqueza do pecado levam facilmente os outros a caírem na tentação do olhar. O título do post se refere a isso tudo, quando tratamos um assunto com bom senso, usando princípios lógicos e aceitamos a realidade as coisas ficam mais simples de serem entendidas, usando-se a lógica percebe-se melhor a realidade e daí fugimos mais facilmente de interpretações pessoais e compreendemos melhor a melhor maneira de vivermos as virtudes da modéstia e do pudor. Desde já recomendo muitíssimo que se assista ao vídeo do Pe. Paulo Ricardo citado acima.

"O pudor é modéstia. Inspira o modo de vestir. Mantém o silêncio ou certa reserva quando se entrevê o risco de uma curiosidade malsã. Torna-se discrição." Catecismo da Igreja Católica §2522

Então, vamos aos assuntos tão discutidos. O primeiro deles se refere a "roupa de banho", a roupa que se usaria para ir à praia, piscina e afins. O biquíni é tão imodesto que nem seria necessário comentar, mas já que algumas pessoas ainda defendem o uso... Uma mulher não sairia na rua usando calcinha e sutiã, não ficaria nestes trajes na frente de qualquer pessoa. Pois é, a única diferença que há da sua roupa intima normal do dia-a-dia para um biquíni é o material do qual é feito, as partes expostas do seu corpo são as mesmas, a mulher está quase nua. Então, se é anormal mostrar certas partes do corpo em outros locais porque numa praia seria normal? Isso se chama, no mínimo, incoerência.

A outra "roupa de banho" normalmente usada é o maiô, podemos usar os mesmos argumentos, a única diferença deste para o primeiro é que este cobre a barriga e algumas vezes as costas, mas ele deixa a mostra as pernas e as nádegas, e esta segunda tem uma conotação sexual explícita para o olhar. Se o pudor consiste “na recusa de mostrar aquilo que deve ficar escondido”, creio que é de bom senso a opinião de que as nádegas são uma parte que deve ficar escondida.

Qualquer um com boa vontade percebe que o exposto acima é verdade, então o argumento contrário que alguns colocam é o seguinte: "Mas se for assim, nós nunca poderemos ir a praia/piscina para nos divertirmos"? Eu respondo: O que é um tempo de divertimento perante da vida eterna? Existem dezenas e dezenas de outros divertimentos mais sadios, então arriscar colocar os outros em situação de pecado só por causa de um tempinho de divertimento não á atitude de uma pessoa que busca sinceramente ser caridosa com o próximo. Quantos santos tem histórias de sacrifícios para se livrar das tentações, então se queremos ser santos por inteiro devemos também fazer sacrifícios, quem ama pensa antes no bem do próximo do que no seu.

O segundo assunto é quanto aos decotes. Tecnicamente decote é qualquer abertura na blusa que deixe o colo descoberto, mas vulgarmente é chamado de decote a área aberta da blusa que chega a deixar parte dos seios a mostra. Como essa segunda parte é que tem relação direta com a modéstia é esta que será tratada. Achei muito interessante a argumentação apresentada neste texto (recomendo a leitura) no qual a autora recomenda que para que um decote seja decente a abertura não pode passar de um tamanho no qual nem que se a mulher tivesse que se abaixar deixaria os seios a mostra. Isto faz todo sentido porque para o olhar masculino esta é uma parte que tem conotação sexual.

A argumentação contrária normalmente apresentada a isso é uma das mais non sense que eu já vi, é a teoria do "meio-decote", segundo ela só decotes escandalosos seriam imodestos, se aparecesse só um "pouquinho", se não aparecesse muito não teria problema. Mas há sim um grande problema, junte atração natural, imaginação e pecado original e está aceso o estopim que pode levar a uma explosão maior. É o seguinte, mesmo que a abertura da roupa mostre apenas uma parte, pelo fato dela ter uma conotação sexual faz com que a imaginação comece a pensar no restante, isto também é citado no texto que recomendei acima. Você pode até estar pensando que o que eu disse acima é coisa de gente com alguma tara por falar da imaginação, não é isto, falo partindo do principio da atração natural que há do olhar masculino sobre o corpo feminino, incitar a imaginação do outro é colocá-lo numa situação perigosa que poderia ser evitada.

Outra coisa, já vi muitos comentários em sites, blogs e redes sociais a respeito, são pessoas dizendo que certas roupas mais decentes não são possíveis de se usar devido ao calor que elas provocam, esse assunto surge principalmente quando se fala em blusas de alça e decote. A resposta é simples, pode até parecer pesada mas é a verdade: Como uma pessoa que não agüenta fazer pequenos sacrifícios em favor da modéstia e do pudor por causa da temperatura poderá suportar os grandes sacrifícios que a sua vocação lhe pedirá? Isto é uma boa coisa para se refletir.

Uma questão que deixo para terminar este assunto: Uma pessoa só usa um roupa se quiser, ela não é obrigada a usar certa roupa, daí que ela escolhe o que mostrar ou deixar de mostrar por livre e espontânea vontade. Então, se uma mulher usa uma roupa que deixa a mostra parte dos seios não estaria ela querendo mostrar tal parte?

Passo ao terceiro assunto, e mais polêmico, creio que com a minha opinião a partir de agora serei incluído no hall of puritans por alguns. O assunto é o uso de calça pelas mulheres. Vou usar a seguinte premissa: Toda calça marca o corpo feminino, alguns vestidos/saias não marcam o corpo delas, logo sempre haverá vestidos/saias mais modestos do que qualquer calça. Toda calça - seja ela apertada ou mais folgada - delineia a forma dos órgãos genitais, das nádegas e das pernas da mulher, enquanto que vestidos ou saias modestos não fazem isto.

Como 99% das mulheres que cresceram pós-revolução sexual foram educadas de que a modéstia é uma coisa irrelevante e num ambiente onde a calça é colocada como uma veste normal para as mulheres dizer que o uso delas é pecado é muito perigoso, pois para algo ser pecado precisa que a pessoa tenha consciência que está fazendo um ato errado, e só Deus pode fazer esse juízo individual. Mas temos algumas coisas que o bom senso percebe, uma mulher que usa essas calças que parecem que foram "embaladas a vácuo" de tão apertadas as usa claramente para provocar o olhar masculino, esta é uma situação clara de pecado pois se está levando outro a pecar, independente se a pessoa teve formação religiosa ou não no fundo há uma lei natural que conduz ao bem, e esta mesma lei mostra que tentar o outro é um mal.

Partindo deste principio, se eu tivesse que falar sobre modéstia com alguma pessoa que ainda não teve a oportunidade de se formar, o assunto sobre as calças não seria o primeiro a ser tocado pela complexidade dessas questões que giram em torno dele, seria um assunto a ser tratado com pessoas que á tem uma certa noção melhor sobre modéstia.

A outra questão - acho que daí vem as maiores polêmicas- se dirige a um grupo mais restrito, que apesar de pequeno vem - graças a Deus - aumentando. É do grupo das moças que tiveram a oportunidade de se formar quanto a modéstia aprendendo dos ensinamentos da Igreja e dos santos. A minha indagação é a seguinte: Se na relação calças-vestidos-saias elas sabem o que é mais modesto porque ainda usam o "mais ou menos" modesto? Se sabem qual roupa tem maior chance de provocar o olhar masculino, usá-las é agir com negligência. Compreendo que há um processo natural de conversão pois é uma mudança entre dois mundos distintos, sei que leva um tempo de adaptação mas há de se pensar nesta questão com mais cuidado, sem um olhar apaixonado e atentando-se a realidade, e como disse Nosso Senhor "a quem muito foi dado muito será cobrado", a quem estiver lendo estas linhas, pense nisto.

O argumento normalmente usado contra esta exposição é falar da mudança natural da cultura, e que tratar a modéstia deste jeito é criar um "livro de regras" obrigando a mulher a quase se vestir com burcas. O Pe. Paulo Ricardo também fala nisto no vídeo, primeiro ele atenta que muitos usam isto como desculpa para não mudar, nós que vivemos no Ocidente vivemos numa cultura cristã, tudo o que é disseminado fora dos costumes cristãos é idéia revolucionária, anti-cristã. Muitos usam disso pra não mudar, dizendo que certos valores estão tão introduzidos na sociedade que não há mais como não segui-los.

Quanto chamar isto de “livros de regras”, a imagem postada logo ao inicio do texto quebra todo esse argumento, a moça está vestida modestamente com todos os requisitos mostrados aqui, dá pra perceber claramente que sua roupa não se parece nada com uma burca e ela está com uma beleza e elegância de uma forma com a qual nenhuma calça poderia fazer. Me lembro de uma outra palestra do Pe. Paulo Ricardo (neste link) no qual em uma parte ele comenta sobre modéstia, falando sobre véus, saias, calças e afins, ele pergunta aos homens presentes: "Você homens, preferem uma mulher de saia ou de calças?", a resposta é unânime: "Saias!!!". As saias e vestidos mostram a feminilidade delas enquanto as calças as masculinizam, todo homem sempre verá mais beleza numa mulher com um vestido ou saia modesto no que numa usando calças, pra quem não acredita, é só "fazer uma pesquisa". ;)

As vezes dá a impressão de que quando elas sabem o que é mais modesto mas ainda continuam usando o menos modesto o fazem por pura e simples vaidade, mas é só uma impressão, cada uma vai prestar conta individualmente a Deus por sua intenção. Vanitas vanitatum, et omnia vanitas.

Espero que minhas colocações tenham ficado claras, e antes terminar gostaria deixar um alerta, já que vivemos na era das redes sociais onde todos postam fotos de suas vidas pessoais na internet é mais um motivo para se ter cuidado, pensar ainda mais em vestir-se com modéstia para que suas fotos não sejam causa de queda para muitos.

Sei que haverá opiniões contrárias, como é normal, se alguém quiser comentar fique a vontade, isso será bom para o aprofundamento do tema, mas desde já faço um pedido, se for de opinião contrária exponha seus argumentos apontando um a um como coloquei, por favor não venha só me chamar de puritano, isso não é argumentação, o puritano é alguém que fugiu da realidade, como foi colocado acima todos os pontos foram explicados a partir de realidades muito concretas e perceptíveis, desde já, obrigado.

Como diz a clássica canção "...vesti com modéstia e grande pudor, olhai como veste a Mãe do Senhor". Peçamos a Nossa Senhora que nos conduza e nos ilumine nesta luta. Mãe Puríssima, rogai por nós!

Tiago Martins da Silva

sábado, 12 de maio de 2012

O 4º pastorinho de Fátima

As coincidências, ou melhor, ações da Providência que ligam o Beato Papa João Paulo II as aparições de Nossa Senhora em Fátima são tão grandes que poderíamos chamá-lo de o 4º pastorinho de Fátima.



Começamos com uma que não é tão latente, mas vale a pena comentar, é a proximidade das datas da primeira aparição com a do nascimento do Santo Padre, a primeira aparição deu-se no dia 13 de Maio de 1917, João Paulo II nasceu no dia 18 de Maio de 1920, apenas 3 anos depois das aparições e vemos até a similaridade das datas, ambas em maio e com apenas 5 dias de diferença, 13 e 18.

Então agora veremos algumas relações de sua vida com os Segredos confiados por Nossa Senhora aos pastorinhos. Comecemos pelo 2º Segredo, ele fala basicamente que Nosso Senhor quer estabelecer no mundo a devoção ao Imaculado Coração de Maria e também sobre a Rússia que espalharia o comunismo pelo mundo. O demônio sabe que o principal meio de afastar alguém de Cristo é primeiro afastá-lo de sua Mãe, uma de suas armas é inculcar nas pessoas que a devoção a Maria diminuiria no fiel a sua ligação com Cristo, isto somado ao fato que na época pós Concilio Vaticano II muitos líderes agiram com má vontade pregando um falso ecumenismo, daí propagava-se uma idéia que a devoção a Maria atrapalharia esse “diálogo” ecumênico, principalmente com os protestantes, e assim esses dois fatos fizeram surgir uma falsa idéia de que a Igreja estaria deixando a devoção mariana um tanto “de lado”.

Para isso Deus manda uma resposta rápida, o pontificado de João Paulo II pode ser descrito como uma "bomba atômica mariana", sua devoção já é vista explicitamente pelo seu lema e brasão, o "Totus Tuus, Mariae", além de suas várias encíclicas e principalmente pela sua devoção ao Santo Rosário, lembremo-nos de que foi ele quem introduziu os Mistérios Luminosos no mesmo, mas acima de tudo isso víamos por seus atos o seu profundo amor pela Mãe de Nosso Senhor.

E sobre o comunismo, a Polônia, seu país natal, depois de ter sofrido com o nazismo sofreu também com o comunismo, João Paulo II viu de perto todos esses horrores, quando a 2ª Guerra Mundial acabou o povo polonês pensou que a chegada russa seria uma benção, mas foi mais uma maldição. Há uma cena interessante no filme "Karol - O Homem que se tornou Papa", onde o jovem Karol trabalhando numa pedreira ouve um companheiro dizendo que os russos trariam paz e vodka à Polônia, e ele responde que eles poderiam trazer vodka, mas paz não, pois ele já havia lido os livros em que os russos acreditavam - livros comunistas - e que o que eles ensinavam iria escravizar o povo polonês novamente. Como era um filme, pode ser que esse fato não tenha acontecido, mas dá pra perceber que o idealizador do filme quis mostrar o quanto Karol tinha noção da realidade e os perigos que o cercavam.

A Providência levou a Cátedra de Pedro um homem que sofreu na pele os males do comunismo na sua terra natal para que ele fosse o principal artífice da queda deste monstro vermelho.
Há uma profecia de Santa Faustina Kowalska na qual Nosso Senhor a revelou a seguinte sentença: “Amo a Polônia de maneira especial e, se ela for obediente à Minha vontade, Eu a elevarei em poder e santidade. Dela sairá a centelha que preparará o mundo para a Minha Vinda derradeira” , é quase impossível não pensar que esta “centelha” é o Santo Padre João Paulo II, ainda mais por ter ele canonizado Santa Faustina e ter sido um grande propagador da Devoção à Divina Misericórdia, devoção essa que teve seu primeiro grande impulso dado por Santa Faustina.


Passamos ao 3º Segredo, esse tem a ligação mais direta com o Santo Padre pois foi entendido como sendo “sobretudo à luta do comunismo ateu contra a Igreja e os cristãos” , e o atentado sofrido por ele na Praça de São Pedro no dia 13 de Maio de 1981 como sendo a imagem do Papa sendo ferido. Neste link podemos ver a interpretação do Segredo feita pela Congregação para a Doutrina da Fé, documento assinado pelo ainda então Cardeal Joseph Ratzinger, a interpretação fala por si e tira todas as dúvidas que os fiéis poderiam ter.

Pessoalmente a maior lição que eu vejo desta revelação do 3º Segredo foi mostrar a máscara de muitos que usavam o nome de Deus em vão, pois foram quase 60 anos desde a revelação dos 2 primeiros até o terceiro no ano 2000, daí surgiram dezenas de interpretações pessoais, a maioria delas com relação ao “fim do mundo”, era um prato cheio para os catastrofistas de plantão. Digo que caiu a máscara pois quando foi revelado que o 3º Segredo esse pessoal ficou desapontado no sentido que esperava uma espécie de show como os “reveladores” de seitas protestantes fazem.

E ainda hoje infelizmente vemos muitos que não acreditam na interpretação da Igreja sobre este Segredo por ele não condizer com a sua opinião pessoal. Eles deveriam ouvir o que a própria Irmã Lúcia disse: “Eu escrevi o que vi; não compete a mim a interpretação, mas ao Papa.’

Ainda sabemos que a bala que foi retirada do corpo do Santo Padre foi colocada na coroa da imagem de Nossa Senhora de Fátima, mas mais uma situação da Providência que podemos ver neste link é que a coroa original foi feita em 1942, e a bala tem o mesmo diâmetro da anilha que une as hastes do diadema, local onde foi fixada a bala quase 50 anos depois.

Falamos do 2º e do 3º Segredo, mas e o 1º, não teria nada a ver? Deixei o 1º para falar por último porque apesar das conseqüências estarem mais “escondidas”, creio que será isso o maior efeito. O 1º Segredo fala da visão do inferno que os pastorinhos tiveram e de que se não se rezasse e fizesse penitência pelos pecadores muitas alma se perderiam ali.

Pois é, imaginemos - apesar de ser praticamente impossível - quantas almas se salvaram por meio do apostolado do Papa João Paulo II enquanto estava vivo, e mais ainda agora que ele está no Céu. Milhares e milhares de exemplos disso existem, mas para terminar deixo como exemplo uma notícia (neste link) que li esta semana, mostra uma senhora que teve um encontro com o Papa Bento XVI, esta senhora está grávida e doente com câncer e preferiu não seguir o tratamento da quimioterapia para que não afetasse a saúde de seu filho, uma das coisas que mais me impressionou na notícia é que ela disse que ela e seu marido pertencem a "geração Wojtyla", jovens que tiveram a sua vivência na fé transformada pelas palavras e pelo exemplo do Santo Padre João Paulo II.

Vemos a infinitude do poder de Deus que escolheu um homem para mudar todo o mundo, este homem sendo humilde abriu seu coração ao verdadeiro poder, aquele que vem de Cristo, e Cristo agindo nele fez mudar todo o rumo da história. Todas as palavras que disséssemos ainda seriam poucas para descrevê-lo, então nada melhor do que chamá-lo pelo título que provavelmente terá quando for canonizado, São João Paulo Magno, não há adjetivo melhor para descrevê-lo.

Estamos nos aproximando do dia da Virgem de Fátima, e agora ao lado dela está o garotinho que ela quis chamar em um tempo diferente dos outros pastorinhos para ser seu filho predileto e propagar sua mensagem. Peçamos aos dois que sempre nos iluminem e nos conduzam a Nosso Senhor Jesus Cristo, que tenhamos força para resistir aos inimigos da Santa Igreja e sempre estejamos em oração e fazendo penitência por todas as almas. Assim seja.

Nossa Senhora de Fátima e Beato João Paulo II, rogai por nós.

Tiago Martins da Silva

sábado, 5 de maio de 2012

Ela não vivia para si...

Continuamos as reflexões sobre os Mistérios do Rosário, hoje falaremos sobre o

segundo Mistério da Alegria, a Visitação de Santa Maria a sua prima Isabel

"Naqueles dias, Maria partiu apressadamente para a região montanhosa, dirigindo-se a uma cidade de Judá. Ela entrou na casa de Zacarias e saudou Isabel.
Quando Isabel ouviu a saudação de Maria, a criança pulou de alegria em seu ventre, e Isabel ficou repleta do Espírito Santo. Com voz forte, ela exclamou: “Bendita és tuentre as mulheres e bendito é o fruto do teu ventre!"
[1]

O que salta aos nossos olhos lendo essas palavras foi a rapidez com que Nossa Senhora pôs-se a ajudar a sua prima, temos neste mistério o modelo de como agir de modo caritativo com o próximo, isso é reforçado pelas palavras de São Luis de Montfort na sua contemplação dos mistérios do Rosário:

"Nós vos oferecemos, Senhor Jesus, esta segunda dezena, em honra da visitação de vossa santa Mãe à sua prima santa Isabel e da santificação de São João Batista; e vos pedimos, por esse mistério e pela intercessão de vossa Mãe Santíssima, a caridade para com o nosso próximo. Assim seja." [2]

Para amar o próximo é preciso sair de si mesmo pois a caridade é amar o outro por causa de Cristo, quando se tenta ajudar o outro com as próprias forças vem a tona a nossa fraqueza e começamos a agir com egoísmo, nos interessando somente por aquilo que nos dá algum tipo de prazer. Ao contrário, quando saímos de nós, só nos resta o amor de Deus, quando deixamos de sermos nós mesmos Deus começa a nos usar como instrumentos para os outros, nos entregando a Ele nos tornamos maleáveis a sua vontade.

E não há exemplo maior desse amor do que Nossa Senhora, ela não se se assoberbou da sua condição de estar grávida do Filho de Deus, não pensou somente em si, pensou antes em ajudar a sua prima que estava num estágio de gravidez mais avançada e mais complicada por causa da idade que já tinha, não se importou com a distância ou outros obstáculos, ela fez o que tinha de ser feito, e essa força ela só teve pois confiava plenamente em Deus.

Há em nós a vontade de fazer o bem, mas há também o pecado original, como bem diz São Luís de Montfort, nós precisamos pedir a graça de sermos caridosos com o próximo, mesmo que tenhamos boa intenção se fizermos as coisas por conta própria vai chegar uma hora que as forças acabam, as decepções vem uma após a outra, o pecado nos enfraquece e se não for a graça de Deus nós desistiremos perante as dificuldades.

São João Batista pulou no ventre de Isabel ao ver a chegada de Maria, Maria trouxe uma grande alegria, trouxe a Alegria. Assim também devem ser nossas atitudes de caridade, não levarmos a nós mesmos, mas levarmos Cristo aos outros, primeiro com nossas atitudes, atitudes coerentes com a fé que pregamos, e depois se for necessário, as palavras.

Nossa Senhora esqueceu-se de si e foi a mais feliz das criaturas, e é o mais perfeito caminho até Deus. Então vamos ficar sempre ao lado Dela também e pedir sua intercessão para que também deixemos de viver para nós mesmos e vivamos para os outros, ver os outros felizes por causa de Cristo nos fará felizes também, uma felicidade maior do que podemos mensurar.

Tiago Martins da Silva

[1] Lc 1 - 39,42
[2] Método de São Luis Maria Gringnon de Montfort para a recitação do Rosário in "Tratado da Verdadeira Devoção a Santíssima Virgem".

Mais artigos da série neste link

terça-feira, 1 de maio de 2012

O demônio do capítulo 25

Em todo processo de criação o último estágio é o mais perfeito, daí que as mulheres
sejam as criaturas - depois dos anjos - mais belas que Deus criou, vemos isso perfeitamente em Nossa Senhora, a mais bela das criaturas, que pela dignidade de ser Mãe de Deus foi elevada acima até dos anjos.

Mas esta reflexão é sobre um dos lados de um paradoxo quanto a dignidade feminina, podemos fazer uma analogia dizendo que por esta dignidade elas se assemelham aos anjos, as mulheres boas são angelicais, exemplos de virtudes e bondade, mas o problema está do outro lado do paradoxo, quando elas são más são como demônios. Daí vem o título do post, leia os versículos de 17 a 36 do capítulo 25 do livro do Eclesiástico, é uma descrição bíblica do comportamento da mulher que é má.

Mas se há tanta beleza, por que falar do lado ruim? Porque apesar de ser ruim, isto existe, e alertar contra um mal é um ato de caridade. Essas palavras que colocarei são coisas que todos com um olhar mais atento percebem, mas o que me levou a escrever essa reflexão e colocá-las num local público foi a minha indignação depois de saber da história de um rapaz* que já estava no seminário e quase teve sua vocação desviada por causa da sedução de um desses demônios.

Sedução, palavra maligna, a arma com a qual o Demônio tentou Adão e Eva, é mesma a arma que ele sempre usará, ele sempre contará uma mentira com traços de verdade para enganar. O homem por natureza irá atrair-se pela mulher, dessa verdade o Demônio encontrará formas de maquiar situações e fazer com que ele se afaste de Deus, e cada situação de um modo diferente.

Antes de prosseguir colocarei um ponto da personalidade masculina que sempre poderá ser usado pelo mesmo como força se direcionado pra Deus mas que pode se tornar uma fraqueza se ele estiver olhando somente pra si mesmo.

O maior exemplo de bondade que um homem tem - como a maioria das pessoas - é a sua mãe, e para nós católicos isso fica ainda mais evidenciado porque temos uma Mãe no Céu, então, seus maiores exemplos de bondade são mulheres, há uma espécie de pré-confiança no sexo feminino por causa de seu relacionamento com "as mães".
Quando ele consegue direcionar isto para Deus se torna mais forte perante as tentações, olhará antes para as mulheres virtuosas e sempre as tratará com respeito.

O perigo está quando ele olha só pra si mesmo, custa um pouco a mais "pra cair a ficha" e perceber que há maldade numa tal situação envolvendo uma mulher, ou ele faz de conta que não está vendo um problema que no fundo é aparente, pois isso acabaria com sua fonte de prazer, ele conta para si mesmo “as mulheres são boas logo esta não pode ser má”. Sei que isso pode até parecer uma paranoia, mas o Demônio usará qualquer coisa para desviar uma alma, até isso.

A primeira e mais clara tentação é aquela em que o homem é tentado a se envolver com uma mulher "do mundo", um envolvimento desses servirá para que o homem apague o si o restinho da chama que o atraía para as coisas de Deus, nós todos já vimos esse caso tantas vezes que nem é preciso tanta reflexão.

O segundo caso, que é até mais complicado, é quando acontece uma situação que a principio nem parece uma tentação, pois a primeira era claramente uma por se tratar de uma mulher de hábitos claramente mundanos, nesse outro caso a tentação não é tão latente pois trata-se daquele clássico caso das "santas-do-pau-oco". O demônio vai agir de formas diferentes pra cada pessoa, percebendo que não mais consegue tentar um homem com as mulheres do primeiro caso, por ele já estar fortalecido pra agüentar tal tentação, ele vai tentá-los com aquelas mulheres que tem um pé na Igreja e outro no mundo. Na verdade elas têm os dois pés no mundo, o que aparenta nelas ser devoção, é apenas aparência mesmo, nada mais que do que uma máscara, ela tem um olhar de santa pra fisgar e um de serpente pra matar.

Mais uma situação: Quando há no homem o desejo de viver para Deus e ele não quer se envolver com mulheres que vivam uma vida totalmente contrária a que ele quer, uma das piores tentações são os olhares vindos desse tipo de mulher, apesar do homem ter claramente em si o desejo de não se relacionar com ela virá um tipo de tentação diferente, que mexe com seu orgulho e o faz ficar soberbo, é a tentação de se achar especial, é como se ele pensasse: "olha, eu devo ser especial, tem uma mulher olhando pra mim", se o olhar do homem não estiver verdadeiramente direcionado pra Deus essas pequenas tentações são como pequenas marteladas usadas pelo demônio para que num momento oportuno ele ataque esse lugar já afetado pela soberba e faça um estrago maior.

Diz a Imitação de Cristo: “Pouco importa ao demônio que os pensamentos que propõe à alma sejam ou não verdadeiros, contanto que sirvam para enganá-la. [1]

Outro caso, podemos fazer uma analogia com esses programas televisivos sensacionalistas que só mostram tragédias, se você só assistir isso a toda hora vai achar que o mundo não tem mais jeito e que só existe maldade. Como relação ao assunto do post, e ainda mais nessa nossa sociedade liberal, o demônio tenta  mostrando os maus exemplos de comportamento de mulheres para que caiamos na tentação de que não há mulheres virtuosas, no fundo essa tentação dele tem como objetivo que nós desacreditemos de Deus, pois é no ser humano que vemos o reflexo da bondade de Deus, começar a achar que não existem pessoas boas é também duvidar da bondade de Deus.

As tentações de todo tipo sempre existirão enquanto estivermos vivos, seja de um modo, seja de outro, mesmo que haja uma grande resistência elas podem fazer sempre grandes estragos se não houver atenção. Fiquemos atentos, o demônio é o pai da mentira, sempre tentará usar a sedução para que tomemos atitudes que Deus não quer.

Uma pequena coisa, só pra completar, talvez pareça alguma revoltadinha (feminista assumida ou enrustida) aqui e leia este texto o chamando de anti-feminino, mas como deixei bem claro no começo, as mulheres são as mais belas criaturas de Deus e na maioria absoluta das vezes elas são os maiores exemplos de bondade para os homens, o texto só foi uma reflexão sobre aquelas que não souberam honrar a missão confiada a elas por Deus.

Então para terminar, como o título fala do capítulo 25 do Eclesiástico que mostra os maus exemplos, deixo um trecho da descrição da boa mulher que há no capítulo 26 do mesmo livro. Se há um demônio no 25, há um anjo de ternura no 26, Deus permite que aconteça um problema, mas logo a frente sempre mostra qual a solução.

Mulher sensata e silenciosa é dom do Senhor e nada é comparável à pessoa bem educada... Mulher santa e pudica é graça primorosa, e não há medida que determine o valor da alma casta. Como o sol que se levanta para o mundo nas alturas de Deus, assim o encanto da boa esposa na casa bem arrumada. Como a lâmpada que brilha sobre o candelabro sagrado, assim é a beleza do rosto num corpo bem plantado; colunas de ouro sobre bases de prata, assim as pernas graciosas sobre os pés seguros da mulher. Fundamentos eternos sobre rocha sólida, tais são os mandamentos de Deus no coração da mulher santa.” [2]

Que Nossa Senhora, a Mulher das mulheres, e São Miguel Arcanjo sempre nos protejam.



*Atualização em 07/02/2014 – Infelizmente o referido rapaz sucumbiu novamente às seduções daquela mulher e prejudicou sua vocação, peço a todos os leitores que rezem por sua alma e dessa moça.
 

Tiago Martins da Silva

Referências:
[1] Imitação de Cristo – Livro III, cap. XXX
[2] Eclesiástico 26, 18-24
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...